51 3284-1800

SindisprevRS OF
ASCOM

ASCOM

Assessoria de Comunicação do SINDPREVRS

Ato em defesa do Posto de Congonhas

Com informações do Sinsprev SP

Os servidores da Anvisa lotados no Posto de Congonhas demostraram toda a união da categoria contra o fechamento dessa unidade durante o ato público realizado na manhã do dia 28 de abril de 2015. Para denunciar essa tentativa do governo de fechar o único posto da Agência em toda a Capital Paulista, os servidores percorreram o Aeroporto de Congonhas portando faixas, distribuindo Carta Aberta e explicando os perigos para toda a população caso um dos maiores aeroportos do país fique desguarnecido de atendimento da Agência de Vigilância Sanitária.

O movimento, que teve início em 2014 na primeira tentativa do governo federal de fechar essa unidade, está conquistando o apoio de diversos movimentos sindical e social, bem como de partidos políticos. Nessa manifestação, além do Sinsprev/SP e Devisa/Fenasps que estão desde o início nessa luta, também estiveram presentes um grupo de trabalhadores da Delegacia Regional do Sinsprev/SP na Baixada Santista, trabalhadores da categoria da região de Ribeirão Preto e São Sebastião e, também, representantes do Sindprevs de Santa Catarina e do Sindisprev Rio Grande do Sul.  

O ato público também teve o apoio da CSP-Conlutas, Intersindical, Sintrajud, Sindicatos dos Despachantes e Importadores e do deputado Ivan Valente (PSOL), por meio de sua assessoria, que manifestaram o apoio incondicional à manutenção do Posto da Anvisa em Congonhas e oferecerem apoio na continuidade desta luta dos trabalhadores. Também aproveitaram a oportunidade para se manifestarem contra qualquer ameaça de terceirização e contra a PL 4330.

O representante da CSP- Conlutas falou dos serviços precários oferecidos pelas OSs – Organizações Sociais, que “cuidam” da saúde em São Paulo e que a péssima qualidade dos serviços prestados custa cara aos cofres públicos.

O representante da Intersindical também abordou a terceirização da saúde por meio das organizações sociais e a postura das Secretarias de Saúde Municipal, Estadual e do Ministério da Saúde, da falta de concursos públicos para o setor.

O assessor do deputado Ivan Valente declarou que a demanda deverá ser colocada em sua pauta.

Os ataques sofridos pelos trabalhadores e pela sociedade com a retirada de direitos foram os temas abordados durante o ato público pelo Sintrajud. A representante da Fenasps, bem como os representantes do Devisa e Sindicatos de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, deixaram claro que a responsabilidade pelo acúmulo do trabalho não é dos trabalhadores, mas da gestão que tenta maquiar e enganar a população mudando o trabalho de lugar e não aumentando a quantidade de trabalhadores, por meio de concurso publico.

O ato público demonstrou a organização da categoria, através das suas entidades de classe, e contou com a participação e apoio da população.

A categoria defende:

– Manutenção do Posto da Anvisa em Congonhas e a abertura de mais unidades nas fronteiras do país;

– Melhoria das condições de trabalho e atendimento à população;

– Ampliação da fiscalização sanitária e com mais qualidade;

– Criação de vagas para concurso público nos estados;

A saúde é um direito do cidadão e um dever do estado.

 

Imagens

follow:

CONTEÚDOS